4.12.2011

Livros do Catano - Já escrevia Gomes Amorim em 1857...

Acto Quarto
Quinto Quadro
[...]

CERVANTES
[...] cá se mudam amiúde os ministérios?

CARONTE
Certamente.

CERVANTES
Mesmo quando governam bem?

CARONTE
É quando se mudam mais depressa. Está provado, que logo que um governo faz uma coisa boa, deve ser posto na rua, para não ter tempo de retroceder. O progresso não pára; cada dia se deve ensaiar uma nova política para satisfazer as exigências do povo...meetingueiro. Hoje pedem-se economias, porque nós estamos desempregados; amanhã berramos contra elas, para defendermos o osso, que já apanhamos; e pomos na rua o ministro que nos despachou - a fim de o ensinarmos a ser mais espero para a outra vez, não empregando independentes. Isto é que se chama caminhar, progredir - progredior - dizem os sábios.
As ideias envelhecem como as coisas; se as não mudarem, apodrecem e caem. Os ministros velhos não podem ter senão ideias caducas. É preciso mexer, agitar, transformar, fundir, refundir as doutrinas e os sistemas, para melhorar tudo; e isto só pode fazer-se por meio de revoluções. A paz, a ordem, o trabalho honrado e assíduo, tudo isso é estúpido e não deixa brilhar as pessoas, que se sentem inspiradas - para apanharem alguma posta e representarem o seu papel nas danças e visualidades políticas.
O país, que não respeitar os palhaços políticos, nunca poderá fazer fortuna, e há-de ser sempre um país de caranguejos.

3 Jeitoso(s):

Táxi Pluvioso disse...

E, se juntarmos aos políticos, o povo, temos uma equação chamada Portugal: durante 36 anos o povo votou pela bancarrota do país e conseguirá esse feito lá para 2014 (ainda faltam mais alguns atos eleitorais), boa semana.

Táxi Pluvioso disse...

E bom fim de semana.

isa disse...

olá :)
convido-a a visitar o meu blog de bijuteria:

www.atelierizzy.blogspot.com
obrigada