1.23.2011

Acontecimentos do Catano - Presidenciais #2

Considero vergonhoso que num dia de eleições, às 16h, a afluência às urnas seja apenas de 35,16%. Se havia coisa que eu achava uma piada imensa quando era pequena, era sair de casa com os meus pais a um domingo de eleições e ver toda a gente a matar-se para conseguir estacionamento na estreita rua onde ainda hoje se situa a minha escola primária. Naquela altura o meu maior desejo era, um dia, poder também contribuir para aquela maciça confusão e dar a minha opinião em relação ao país do qual sou cidadã.

Hoje a confusão foi estranhamente reduzida, e quando voltava para casa três vizinhos meus estavam encostados a uma parede e começaram a praguejar "vai ficar tudo igual, nem sei porquê que saem de casa com este frio". Lógico que eu entendi que a boquinha era para mim e para a minha mãe, mas segui sem dizer nada para além de um humilde "boa tarde". Tenho quase a certeza que estavam na rua àquela hora, a apanhar frio, mas nem se tinham dado ao trabalho de atravessar a rua para votar, e infelizmente este é o reflexo da maioria ignorante existente no nosso país. Gente de tal calibre nem direito a ser chamados de cidadãos haveriam de ter, já que têm quem tome as decisões por eles, e no entanto reclamam como se fossem donos da razão. As coisas não mudam porque as pessoas não querem! As coisas não mudam porque mais de 50% da população nacional não sabe pensar por si mesma nem tem pensamento crítico! As coisas não mudam porque as pessoas se acomodam à sua triste normalidade...

Fiz 18 anos em Setembro de 2009 e desde então sempre tenho exercido o meu direito de voto. Fico muito triste com estas situações ridículas. Infelizmente será assim durante muito tempo, mas eu ergo a cabeça de consciência tranquila, porque, pelo menos, já fiz mais pelo meu pais que aqueles três tristes que estavam a reclamar.



PS (20:15h): Estes resultados só revelam a merda que este país é. Já não bastava a abstenção escandalosa, que reflecte a população estúpida e ignorante que temos, e agora ainda temos que levar com um idoso decrépito por mais um par de agoniantes anos.
Parabéns, meus queridos. Agora sofram!

5 Jeitoso(s):

Dani disse...

Como eu concordo contigo... O meu padrinho, infelizmente, é uma dessas pessoas que sempre se queixa mas há anos que não põe os pés numas eleições. Já dei o caso dele como perdido.
Por acaso, aqui por Gondomar, a afluência às urnas até foi significativa. Pelo menos o pavilhão multiusos esteve o dia todo com o imensas pessoas por lá. Quando lá fui, uma das secções tinha uma fila que metia medo, mas as outras praticamente não tinham ninguém. Mas ao nível nacional, ver uma abstenção destas é assustador. Qualquer dia são os próprios candidatos que escolhem quem vai para lá, já que grande parte dos portugueses parece não querer saber.

*

Táxi Pluvioso disse...

Votar é muito importante, dá sensação de poder, que, afinal, o povo não tem. boa semana, e toca a estudar muito, para ter um bom emprego e pagar muitos impostos.

Ritinha disse...

Concordo. Uma abstenção tão grande só mostra que as coisas não estão bem...

underexplosions disse...

as coisas não mudam porque o país está demasiado envelhecido. velhos burros e conformistas com palas nos olhos não arriscam... e acredita, são maioritariamente eles que saem de casa e lá vão com a bengalinha votar. posso estar a generalizar demais, mas no meu local de voto não vi um único jovem. foi a primeira vez que votei (18 anos é isto!!!!) e senti-me bem. à noite, senti-me desiludida. é pena.

Leandro de Sousa Bastos disse...

Já tive algumas discussões acerca destas presidenciais. É certo que o cargo de Presidente da República pouco contribui para a gestão do país, no entanto, esta indiferença da população portuguesa na afluência às urnas, não pode passar em claro. Ainda para mais quando estamos constantemente a criticar o actual estado do país.

Concordo com o que disse a "underexplosions". O povo que vota é maioritariamente idoso. Porquê? Porque só estes sabem o quão foi importante a voz do povo no seu passado, respeitam tudo aquilo por que lutaram para adquirir este exercício. Para eles um dia de eleições é um dia especial. A questão de serem conservadores, não critico. As únicas pessoas que podem ajudar na mudança do país são os jovens. O problema está precisamente em que muitos deles estão-se a marimbar para a política e tudo a que move. É triste.