1.30.2011

Coisas do Catano - Ela roubou-me o prazer

Desde que me lembro de existir que os livros fazem parte de mim, da minha vida e dos meus dias. Aprendi a ler com uns quatro, cinco anos, num infantário onde conheci (pequenas) pessoas com as quais ainda hoje me relaciono e fazia questão de mostra-lo ao mundo, lendo tudo aquilo se encontrava ao meu redor. Sentia prazer enquanto o fazia. Um gosto estranho em compreender aquela junção de caracteres que formava palavras, algumas delas magníficas, outras que magoam, mas todas igualmente importantes.
Hoje, cerca de catorze anos depois, tenho dó de mim mesma por não ter o prazer de tais tempos. Uma puta roubou-mo há um ano e qualquer coisa atrás. É curioso este poder que a faculdade tem nas pessoas. Obriga-nos a ler o que não queremos, roubando-nos a vontade de absorver um bom livro só pelo mero prazer da leitura.
Ainda me lembro, madrugada do dia 5 de Setembro de 2009, ao relento, algures em Coimbra. Foi o último que sorvi de uma assentada. Envolveu-me de tal forma que nem o frio senti na pele, nem me apercebi do passar do tempo.
Tenho muitos livros na minha mesa de cabeceira. Em parte porque não tenho mais espaço onde os guardar. Uns estão com (grandes) amigos, outros algures pela casa, e uns quantos foram-me raptados pelo vizinho do lado, ou o meu irmão, como lhe queiram chamar. Uns já li mais do que uma vez, outros tantos estão a meio, alguns estão lá por paixão ou por memórias com as quais gosto de adormecer e uns poucos odeiam-me, por nunca lhes ter passado os olhos, nem pela contracapa.
Apesar de tudo, da crueldade pela qual aquela cabra me faz passar, eu sei que um dia vou acabar, gloriosamente, com ela, reaver tudo aquilo que me extorquiu e ler como lia em outros tempos, com o mesmo gozo, com o mesmo prazer.

8 Jeitoso(s):

Ritinha disse...

Eu adoro ler... Ainda bem que não tenho ninguém a controlar as minhas leituras :D

La Coconut disse...

Bem te percebo, antigamente lia imenso e desde que entrei na faculdade só leio no Verão :(

Catarina's Alter Ego disse...

Nada é mais familiar do que uma torre irregular de livros, com contracapas de cores que não combinam, em cima da mesa de cabeceira :) A mim faz-me sentir em casa. Livros que li há imenso tempo, mas nos quais tropeço acidentalmente, e que com o título me transportam ao resto da história, e a como eu era quando os li... Livros, what else ? :)

Sáaa disse...

Eu acho que aquela faculdade destrói-nos o gosto pela leitura, em vez de o "refinar", como seria suposto num curso de Literatura, enfim...

green angel disse...

Para além de que o que está escrito neste post ser verdade está brutalmente bem escrito. Parabéns :)

Táxi Pluvioso disse...

Eu também, hoje dou-os aos gatos para que os arranhem, não há coisa mais triste para um livro, do que acabar numa biblioteca municipal ou nacional.

Oxum disse...

Também eu adoro ler e de bons livros.
Quando gosto de um livro leio-o devagar, saboreio as palavras, mastigo-as bem para retirar delas toda a essência que o escritor nos quer transmitir. Também gosto de sentir os livros, do seus cheiro da sensação táctil do seu toque e do virar de página.
Isto para te dizer que adorei o teu texto... Beijo :)

Ferreira disse...

Texto fantástico. É um desatino quando nos querem reduzir um texto a uma interpretação, acrescida de frases de frases que ligam ideias que nem o autor teve nem sonhou. Deixem as letras falar por elas!