6.10.2011

Coisas do Catano - I give up

Há dias em que me levanto da cama com forças suficientes para arrastar o mundo durante todo o dia, mas outros, desde o momento em que abro os olhos, sei que estarão condenados à desolação. Levanta-se uma gaja da cama as 4h da manhã, vai tomar banho, e tem o «Taras e Manias» do Marquinho a massacrar-lhe a cabeça, sem descanso. Até aqui podia muito bem ser um dia normal, mas certos detalhes, que por muito que não queira, após ter a desilusão a meus pés, interpreto como presságios, apesar de não alinhar nessas ondas de predestinação e previsões. 


Pouco mais de duas horas, foi o tempo que tive para viajar por vale de lençóis. Banho tomado, tenho cerca de meia hora para estar pronta para sair de casa. E assim foi, no entanto a minha boleia atrasou-se quase quinze minutos, e desde logo deduzi que aquele seria o primeiro de muitos entraves. Entre ares condicionados que gelam - e me presenteiam com uma bela de uma infecção na garganta e uma caliente febre que me fez lacrimejar que nem doida - consigo ficar sozinha, comigo, no meio de uma multidão, e dar uma vista de olhos naquilo que tenho feito nos últimos tempos. 

Com uma certa ajuda alheia, cheguei à conclusão de que, em dois anos, me vi obrigada, moralmente, a abandonar coisas que me apaixonaram e se absorveram até ao tutano, me dominaram cada segundo, mas que, apesar de esperar algo como recompensa, nunca nada me deram para além de lágrimas e amarguras. Apercebi-me de que disse adeus a algo que um dia me disse muito, mas que no entanto me sumiu das mãos de forma muito rápida, acabando eu por largar o resto, achando que não valia a pena lutar pelas minhas mãos. E se eu não o tivesse feito? Se em vez de desistir, tivesse lutado pelos meus ideais e os tentasse inculcar naquilo que um dia foi tão rico, tão jovem. Fico a pensar se fui eu que larguei as sementes erradas, ou se alguém é que não as tratou devidamente. Gosto de acreditar que foi a segunda, mesmo sabendo que, como lhes disse adeus, nunca saberei a resposta.

A vida é uma puta, não é? Aquela do "mas vale arrepender de algo que fizeste, do que de algo que poderias ter feito" deixa de fazer qualquer sentido quando o fazes, te desiludem, te deixam na merda, mas mesmo assim te sentes arrependido por não ter feito mais, por não ter lutado, mas ter desistido no momento que, na altura, te pareceu ser o ideal, e que agora, com a devida distância, te parece tão exagerado, tão prematuro.

8 Jeitoso(s):

Psualmente. disse...

O "ambiente" está mesmo down por ai! E compreendo-te tão BEM acerca da "historia" que nos vendem acerca do arrependimento! Mas há dias bons...muito bons...á que pensar nos que foram...e esperar pelos proximo...e no "meio" ir vivendo tudo a que temos direito.

Sáaa disse...

oh meu amor,temos que falar =(
Percebo-te tão,mas tão bem...acho que todos nos podemos identificar com isto de alguma forma ;/ de qualquer das maneiras,infelizmente ou(felizmente),não podemos mudar o passado...e mesmo que pudessemos,como tu própria o disseste,a vida é uma p*** e arranja sempre maneira de nos trocar as voltas :/ bahhh,mas nada de deprimir,Ni :)

Zé Naifa disse...

Como costumo dizer: " Life's a bitch and I don't have money to pay her."
O passado já lá vai, mal ou bem tomamos decisões e (tentamos) seguir em frente. Nem sempre acertamos mas temos que seguir em frente.
Segue em frente moça que a estrada é longa e ainda tens muito que andar.
E que os teus pés aguentem.
Beijinho e sorriso :)

Zé Naifa vai caminhar para outra estrada agora :)

Táxi Pluvioso disse...

That's life. E, lá mais para a frente, as pessoas dizem aquela frase, e que a dizem apenas para aquietarem o espírito, "se voltasse atrás não mudava nada". É um desabafo de raposa da fábula para que não nos sentirmos falhados. good week

Táxi Pluvioso disse...

Então os professores a exercer o seu sadismo sobre os alunos que não deixa tempo para escrever? bfds

Luzinha disse...

ui... isso é muito mau! E não há ninguém que possa fazer nada por nós, senão nós para NÓS mesmos! :S
reconhecer que se fez escolhas erradas já é o primeiro passo mas lá que custa, custa! :S
Menina Brito... faça lá favor de arrebitar! =)

clara disse...

Ando numa fase do arrependimento e, porra, tens razão, é tramado.
Nao poderia ter adivinhado, mas acho que preferia a ignorancia

clara disse...

Ando numa fase do arrependimento e, porra, tens razão, é tramado.
Nao poderia ter adivinhado, mas acho que preferia a ignorancia