7.24.2011

Coisas do Catano - It's beach time!

Nunca fui pessoa de gostar muito de praia. Ou melhor, tenho fases! Quando era mais pequena odiava ir para a praia com os meus pais e o meu irmão, achava aquilo a coisa mais entediante de  todo o sempre, mas lá me resignava e acabava por deixar que os livros me entretivessem durante aquelas penosas horas. Já quando a companhia era outra, o caso mudava de figura. Subitamente, após no ano anterior ter ido umas míseras quatro ou cinco vezes à praia, o bichinho da praia despertou este ano, juntamente com uma vontade enorme de consumir uns banhos de sol e mar.

Uma pessoa implora ao mundo durante dolorosas semanas que quer ir para a praia. O namorado faz a vontade e leva-me para Santa Cruz. Excelente dia de praia, ainda em Junho, o que aumentou progressivamente a ânsia de voltar às lides balneares , apesar do escaldão brutalíssimo que apanhei nos pés e que me impedia de andar.
Numa tentativa de retribuir o favor levo o namorado à praia aqui no Porto. Primeiro Gaia, convertendo uma ida à praia numa caminhada que mais parecia uma batalha aguçada contra as terríveis - e temíveis - domínios de Bóreas! O vento era tão forte e tão cortante que nem tive que me dar ao trabalho de puxar o cabelo da frente da cara. As minhas pestanas nunca se tinham sentido tão violentadas, dobrando de tal forma que me irrompiam olhos dentro. A segunda tentativa  - falhada, sublinhe-se - desenrolou-se por terras de Espinho. Mais uma vez o nosso grande inimigo foi o vento, que atirava a areia contra nós com tanta força que acho que hoje, uns quatro dias depois, ainda tenho grãozinhos de areia entalados nos poros.

Apesar destes contratempos, o peculiar desejo de ir à praia mantém-se. A minha aspiração máxima não é ficar minimamente bronzeada, já que é de conhecimento mundial que isso é impossível. Limito-me a rezar para que não passe o resto do Verão a parecer uma albina, nem que me converta, a certa altura da exposição, numa lagosta suada e enraivecida.

4 Jeitoso(s):

Dani disse...

Já ouvi falar que as praias do Norte têm estado impossíveis... Mas, tendo em conta que eu ainda não consigo ver nitidamente o começo das minhas "férias", não me tenho incomodado com isso ;p
Pode ser que agora o Verão venha a sério. Pensamento positivo ;)

*

Ritinha disse...

Por acaso não sou muito adepta de praia. Mas adoro dar grandes passeios quando lá vou :D

Bom sorte para a próxima vez que lá fores
Beijinho

Táxi Pluvioso disse...

Eu gosto muito de praia em imagem vídeo, não me cansava do Baywatch, nem me canso do Hawaii Five-O. Se o português fosse uma língua decente, "nadar" viria de "nada" e significaria isso mesmo "fazer nada". Ou dar umas braçadas viria de braços e significaria agitar os braços de forma estranha (estilo num concerto dos Coldplay). Isso sim seria etimologia viva...

Táxi Pluvioso disse...

Nunca pensei que houvesse massa para mais uma série do five to midnight, não sei se a troika foi consultada...